11 janeiro 2011

Sentidos



Eu nunca vou esquecer dos seus olhos, me olhando como se eu fosse um estranho. Como se fôssemos estranhos. Não vou esquecer do aroma de álcool pré-juvenil que saía dos seus poros, nem do cheiro de refrigerante barato no meu hálito. Não me esquecerei da sua cara boba assumindo e gaguejando que tinha bebido um pouco.

Naquele dia nos acostumamos com a coragem. Aquela de entrar no banheiro e se ver no outro. Aquela que tem como trilha sonora qualquer música ruim de pista de dança. Nos acostumamos com o toque áspero dos nossos rostos.

Quando vi, já estava completo. Você em mim e eu em você. E não precisamos de nada mais que nós mesmos. Era só a música longe, seu suor alcoólico e o cheiro de urina de um banheiro qualquer. O banheiro do segundo andar.

Disso eu não posso esquecer. Da gente ali, naqueles dois minutos ou talvez menos. Durou uma eternidade e ainda assim não foi suficiente. E quando fecho meus olhos, escuto a canção. Como se eu nunca tivesse crescido nem experimentado outros tantos tatos.

12 comentários:

  1. (suspiros) [2]

    Nuss, meu coração chega acelerou agora...kkk, acho que estou carente :s

    Até o proximo, rapaz... Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não me imagino fazendo pegação num banheiro.

    Sério...

    ResponderExcluir
  3. isto é igual ao primeiro sutiã ... a gente nunca se esquece ... rs [para os mais jovens este era o slogan de um comercial da DeMillus] ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  4. Há encontros mágicos mesmo...

    Bj

    ResponderExcluir
  5. VC escreve de um jeito que me fz estar na cena (mesmo sabendo que ninguém iria me querer ali!).

    Algumas observações: eu bati o olho na primeira frase e li "eu nunca vou esquecer nos MEUS olhos ME olhando", e aí lembrei de algo que vi uma vez não me lembro onde, que dizia que antes dos espelhos existirem, nós nos víamos apenas no reflexo da água, e portanto nunca conseguíamos nos ver direito e sempre víamos os outros perfeitamente. Ach oque era algo sobre Narciso, sobre ser narcisista. Nada a ver com o post esse comentário, eu e´que lembrei pq li errado ehhehe

    Segundo, vi que vc colocou meu blog aqui do lado, adorei!! Obrigada!

    terceiro: é, eu tb não estava preparada =/

    Beijinhos!!

    http://mmansur.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. (suspiros) [3]

    que lindo. adorei. muito doce.

    e a respeito do meu texto, eu não entendi oq vc quis dizer com as incoerencias que aparecem na hora certa Oo

    ResponderExcluir
  7. Delicado. Encantador!

    Às vezes te leio e vejo uma boa proposta pr'um curta...

    Xêro!

    ResponderExcluir
  8. tb não gostei nem um pouco da versão brasileira sobre o tema ... tirando a beleza plástica ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  9. Lá do lado tem uma tag "Cínicos" que é enorme. Tende a diminuir, pelo visto...

    ResponderExcluir
  10. " não precisamos de nada mais que nós mesmos. Era só a música longe, seu suor alcoólico e o cheiro de urina de um banheiro qualquer. O banheiro do segundo andar.
    "
    gostei dessa ideia de noite e perdição, ideia de fim de noite, quando o mundo não é mais que duas criaturas

    ResponderExcluir
  11. " não precisamos de nada mais que nós mesmos. Era só a música longe, seu suor alcoólico e o cheiro de urina de um banheiro qualquer. O banheiro do segundo andar.
    "
    gostei dessa ideia de noite e perdição, ideia de fim de noite, quando o mundo não é mais que duas criaturas

    ResponderExcluir