01 agosto 2011

Esse amor


Todo mundo sabe que a menina é feliz, que ela é sua menina e que ele é seu rapaz. Que os dias que passam sob as cobertas passam mais rápidos e mais quentes, ainda que seja junho. Ainda que estejam sempre nus em pêlos.

Todo mundo olha e vê que a menina é feliz, que ela é sua menina e que ele é seu rapaz. Que os movimentos das mãos dele pelo ombro dela enquanto andam de ônibus depois da sessão de cinema ali em Botafogo, chegam até os seios e os acariciam sem pudor algum ou vidro fumê.

Todo mundo sabe que ela é sua menina, anda toda rebolativa e com o sorriso de orelha a orelha. Não fala em outra coisa, só no cabelo reco e na camisa branca que ele usa debaixo da farda nos dias de semana.

Ele é seu rapaz. Que sai pra trabalhar cedinho, lembrando a noite de ontem no portão da casa dela ou na praia da Urca, sentados num banquinho entregues ao esconderijo que ela tanto amava.

Ele era seu rapaz. Pegava na mão dela com uma pornografia inédita e fazia carinho enquanto lanchavam na barraquinha de cachorro-quente. Nem as outras meninas que passavam em seus vestidos de festa lhe distraiam o olhar.

Era só ela e eles. Só esse amor que não cabia em um e que era único. Que de dia era sonho de padaria e de noite pizza entregue por motoqueiro. Era cigarro e refrigerante. Era inocência e tesão. E no tesão, inocência. Na inocência, uma gorda quantia de tesão.

6 comentários:

  1. essa sua entidade feminina tá super importante aqui não?

    ResponderExcluir
  2. Olá menino
    Como sempre, brilhante. Amei.
    Voltei.
    Bjão

    ResponderExcluir
  3. eu sou menina, viu?
    ele é o meu rapaz...
    meu corpo é testemunha do bem que ele me faz

    ResponderExcluir
  4. "meu corpo é testemunha do bem que ele me faz"[2]

    foi a primeira coisa que pensei quando comecei a ler o post ;)

    ResponderExcluir
  5. me add no FB: Alexandre Willer Melo

    ResponderExcluir