30 abril 2011

Desculpem os erros de português



Porque eu tenho certeza que existem outros meninos como eu, que sejam tão tediosos quanto eu sou e que usem All Star de cano alto sem pretensões de rock and roll. Vão existir aqueles que falam de cinema e música, destacando os que quase ninguém conhece.

Não vai ser aquela mesma baboseira de contar nos dedos quantos beijos colecionaram naquela noite, simplesmente porque se tocaram que já passaram dos vinte e um e é mais do que hora disso parar. Não que eles tenham que ser chatos, como eu, mas ajudaria, mas eles têm que ser adultos. Não que eu seja adulto também, acho que não sou, mas eu não ouço mais Avril Lavigne nem vejo filme do Adam Sandler.

Tenho certeza que uma hora vai aparecer outros rapazes que usem pólo listrada e vistam G. Como é tão difícil encontrar alguém que vista G?! Por que todos eles decidiram, de repente, que devem ser magros? Que devem ouvir a Kylie Minogue?

Porque a cada dia eu rezo para que me apareça alguém com quem dividir momentos. Que não me achem tedioso porque também vão assistir Dexter, True Blood e discutir sobre a fotografia do último filme da Sofia Coppola. Afinal de contas, aquela fotografia quis dizer alguma coisa, não é mesmo?

Será que a culpa é minha ou só somos diferentes? Porque eu não gosto de falar sobre filosofia. Não mesmo. Mas também não ouço Ivete Sangalo. Tão difícil achar um meio termo? Eu segurei meu queixo com a mão direita e ajeitei-me naquela cadeira de vime, enquanto o sol a pino queimava a testa de quem passava pela rua.

E daí que seja só mais um dispensável? Depois de um dia inteiro, passam milhares assim. Eles vêm, vão, cantarolam uns trechos de qualquer música da Britney Spears e comem jujubas verdes até não agüentarem mais.

Depois disso tudo, eu que sou tedioso. Falando do conteúdo da minha geladeira e das cores que povoam minha cama das onze às duas da tarde. Mas uma hora isso vai mudar. Uma hora param de me chamar de chato, simplesmente porque vão me entender. Né?

27 comentários:

  1. Nossa, eu me vi nesse post... hahahaha
    Como é difíciu achar um meio termo... Depois nós é que somos tediosos!!! hahaha.... Caraca, adorei!

    Um beijo, rapaz... até o próximo

    ResponderExcluir
  2. olh, se sobrar jujuba verde eu quero. e as de outras cores tb...
    ^^

    abraços do voy

    ResponderExcluir
  3. Menino,
    você escreve pra caralho. Amei.
    Bjão

    ResponderExcluir
  4. É, porque eu tenho certeza que existem outros meninos como eu, é que eu continuo caminhando...

    Texto muito bacana!

    ResponderExcluir
  5. Eu sou um que tenho pavor de precisar usar G. Mas nem sou magrelo. Gostaria de ser um pouco mais magro, apesar disso.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Visitando blogs em comum achei o teu..
    Interessante a forma como expressa o que se sente..
    Assim como vc, me sinto muitas vezes atipico a tantos que vejo..
    mas é isso.. Juntos venceremos!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  7. se todos no mundo fossem iguais a você meu querido, a gente tava salvo!
    :D

    ResponderExcluir
  8. belissimo texto...

    Sabe meu caro, as pessoas hoje tem preguiça de evoluir, ficam ali paradas esperando que o mundo as carregue.

    Um pouco evoluido que seja, já é o suficiente para te olharem como se fosse um ET. Não gostar do que a molecada curte, é normal, gostar do que os mais velhos curtem tb...esse meio termo existe em centenas de pessoas e tenho certeza que uma hora as afinidades serão tantas com alguem que logo esquecerá que um dia esperou por isso.

    Alguem que escreve tão bem é impossivel que permaneça só.

    abração e boa semana.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom.
    Quem nunca se sentiu tedioso e entediado com o mundo?
    Adorei!

    ResponderExcluir
  10. não te acho chato, só um pouquinho ixcroto (#piadainterna)

    ResponderExcluir
  11. super te entendo.
    se isso ajuda.
    :*

    ResponderExcluir
  12. Às vezes todos eles são fofos, todos eles são altos com todas as luzes, mas eles não têm controle! Queria algo novo também.. alguém que estivesse no mesmo nível para dividirmos os mesmos sonhos úmidos, mas achar tá difícil.. o padrão é a mesmice

    ResponderExcluir
  13. Adorei seu texto, Antonio! Ainda busco palavras para definir como eu achei este post diferente dos outros, mas nada parece tão claro pra mim. É como se agora fosse mais real, mais desabafo, mais real, cru, uma dor (não é essa a palavra ideal, eu sei) não poética.
     
    Digamos que antes eu sempre achava que seus escritos podiam ou não ter acontecido. Esta dúvida não ficou presente aqui. E sei que é difícil estar no meio termo, entre a filosofia e Ivete. Alguns acham que estou numa ponta, mas por conhecer de falo alguns que estão na ponta filosófica, me reconheço tbm como meio termo em meus interesses.
     
    E muito obrigado pelos comentários lá no blog. Você deixou alguns questionamentos que não quis responder porque pretendia esclarecê-los no terceiro post. E sim, a história foi bem escrita (apesar de não ter sido exatamente daquele jeito), mas foi muito mais bem vivida sim.

    Xêro!

    ResponderExcluir
  14. Te entendemos.

    O meio termo as vezes - por maior avertura que possuimos - torna-se tao dificil que nos cansa.

    Desligue-se. E ao menos passo estará ali, no beneddetto meio termo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. todo mundo tem o direito de se sentir assim de vez em quando.

    ResponderExcluir
  16. Querido Antonio,

    Quis esperar um novo post seu pra te falar algo, mas não aguentei hahaha.

    Sobre seu comment lá: espero tbm que meu blog não fique neste "poço" ao qual vc se referiu.

    Analisando o que ocorreu nos últimos dias, sinceramente acho qeu isso não vai acontecer.

    Mas, caso eu trilhe este caminho sem dar conta de meus passos, conto com sua já prévia percepção pra me alertar. Servirá de alerta não só pro blog, como pra minha vida. A mim, parece preferível manter a inconstância do ser à viver nesta espera.

    E, como sempre, obrigado pelo comentário. Me levou à reflexão.

    Xêro!

    ResponderExcluir
  17. Tanto podemos como devemos. Podemos sim ser chatos e ser do nosso jeito como gostamos, é essência, mas devemos também ampliar e aceitar o alheio a nossa vontade e deixá-lo seduzi-te pela falta de compromisso com nossa "verdade". Da mesma forma serve ao revés... que eles também se abram a nossa verdade tal qual devemos e podemos ser flexíveis....

    bjo grande

    ResponderExcluir
  18. Também quero um cult meio-termo pra chamar de meu... complexo, viu?

    Até porque eu vejo filme do Adam Sandler... e rio!

    ResponderExcluir
  19. Poxa, seu texto me trouxe indagações bem familiares. A procura por pessoas que se interessam pelas mesmas coisas que a gente, não é fácil. Porque nosso gosto não é muito comum, nem muito fácil de denominar.

    ResponderExcluir
  20. meio termo. deviam distribuir mais desses.

    ResponderExcluir
  21. Vc não é diferente... Todos os outros é q são iguais.

    Gostei do blog

    Abraços

    Alexandre
    http://soupretomassoulimpinho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. Um dia vc encontra, ou te encontram. Muita gente veste G e gosta de Sofia Coppola.

    ResponderExcluir
  23. Deixo a maioria de vocês meus leitores um mimo de agradecimento por me suportar nessas 500 mensagens.
    Você foi uns dos citados, e espero que goste!
    Desculpe pela mensagem genérica, mas haja dedo pra linkar mais de 50 pessoas né?

    Grande beijo.
    S.A.M O CLOSE
    e
    S.A.M Eterno Garoto

    ResponderExcluir
  24. eba...mesmo ausente um dia aparece!! bjo grande e obrigado!!!!
    e ... cadastra um email pra eu responder direto os comentarios!! acho JED! aahahhaa... bjo

    ResponderExcluir
  25. chegando agora via Bratz e gostando..vou fuçar por aí..

    fique à vontade lá em casa

    ResponderExcluir