09 fevereiro 2011

Ali na superfície



Não tenho coragem de falar. Abrir essa minha boca pequena entre duas bochechas grandes e gordas e dizer o quanto eu quero tudo o que parece que você também quer. Enquanto isso vou esboçando esse sorrisinho infantil e dócil, fingindo ser mais dócil do que eu realmente sou (se é que sou dócil).

Faço o tipo bonzinho, aquele que não entende o que está acontecendo. O inocente que eu no fundo acho que você espera que eu seja. E nessa de me fingir de inocente, descubro que não sei nada sobre você, nada sobre mim, nada sobre o que realmente quero.

Só sei que quando a gente debruça na superfície, meio úmidos de tanto calor, o que eu quero é te abraçar e dividir essa umidade. Fazer você sumir nos meus braços e voltar pra onde a gente estava.

Mergulhar bem fundo nessa novidade. Até chegar na praia que você preparou para mim. E não me diga que você não preparou praia nenhuma para mim. Porque esse seu joguinho, esse que você faz tão magistralmente, eu só espero que ele queira dizer o que eu acho que ele diz.

Que você ao menos se excita ao me ver. E, se não se excita, sente vontade de se excitar. Nem sei se eu sou capaz de te satisfazer. Com o sorrisinho que mantenho no rosto, mesmo três anos depois, insisto em conquistar você.

14 comentários:

  1. 3 anos? Hora de largar o menino inocente e mostrar quem é que manda. Vai que ele gama desta vez?

    ResponderExcluir
  2. é, tb não entendi a parte dos 3 anos, durou 3 anos?

    ResponderExcluir
  3. "E,se não se excita, sente vontade de se excitar..."

    ResponderExcluir
  4. concordo com o Edu ... depois de 3 anos as cartas definitivas têm q ser postas na mesa ... não cabe mais blefe ...

    amigo ... esperando ansioso pelo final de fevereiro ... mantenha contato e me avise para encontrarmos ... paulobraccini@globo.com ... me escreva e eu te passo o telefone ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  5. Quanto tempo somos capaz de esperar, né?

    ResponderExcluir
  6. o "parece querer" é que me mata! preciso da certeza, mas em busca dessa certeza que a gente perde 3 ou 6 anos...


    bjooos

    ResponderExcluir
  7. hora de soltar uma gargalhada. deixa esse sorrisinho de garoto de lado.

    ResponderExcluir
  8. Sou eu, sou eu...

    Mas sobre a dengue, nem é dengue, acho que foi só uma gripe forte, não cheguei a ir no médico pra ver o que realmente foi...

    E sobre o Max, trocamos alianças desde que o vi na primeira temporada, quem tem que entrar na fila são os outros hahaha

    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Concordo com quem disse que depois de 3 anos, as cartas devem ser postas à mesa. Acho que esses joguinhos só existem porque são alimentados por ambas as partes, mas que no fundo, não faz bem pra ninguém.


    Acho que a pergunta é: será que a gente quer mesmo, de fato, ver as cartas depois que elas são colocadas à mesa?

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Apesar de 3 anos tentando agradar outra pessoa de uma forma que você não é, não tem nada de errado. Vai que você também se sente bem agindo dessa forma. Ninguém garante que você não pode ser isso de verdade.

    ResponderExcluir
  11. três anos.... wow. andar pra frente que é bom, nada, né? rs

    ResponderExcluir
  12. [gente, o foxx me mata de rir?]

    meu deus, me vi no meio dessa historia, é isso? "nem sei se eu sou capaz de te satisfazer".

    vontade de abraçar até se perder, mas não saber lidar. você não está só, amigo.

    já falei que adoro seus textos neste post? hehe

    [j]

    ResponderExcluir
  13. SABE, EU TERIA ESCRITO ISSO.

    vc sabe da minha historia? rs

    descreveu tudo, tudo.

    preciso facebookar, me permite?não?ja foi.

    ResponderExcluir