26 outubro 2014

A casa


Nossa casa vai ter um quintal gigantesco que é pra eu me deliciar com você de short, toda descabelada, pendurando as roupas das crianças nos varais. E vai ter goiabeira, e bananeira, e mangueira, e amoreira. Vai ter muita sombra no nosso quintal, mesmo em janeiro. As crianças vão correr e rolar no chão de mato capinado. O mesmo chão onde o nosso pastor alemão faz as sujeiras dele.

Na sala vai ter a minha poltrona, bem de frente para a TV, onde eu vou ficar fumando um cigarro depois da janta, ouvindo o homem do jornal contando as notícias. Do meu lado vai ter uma mesinha, que é pra você apoiar o copinho de licor de menta que você traz pra mim, pra ajudar minha digestão.

Nosso quarto vai ser um ninho. Teu cheiro espalhado pra todo lado. Teu gosto, tuas roupas, tuas joias. Eu só quero mesmo é deitar na nossa cama e ficar olhando você voltando do banheiro de camisola e touca na cabeça.

4 comentários:

  1. Qta ternura e qta docilidade nestes escritoa ... gostei!

    ResponderExcluir
  2. vc e seus personagens heteronormativos
    kkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Caraca... deu para ver a cena, dela saindo do banheiro e vindo se jogar na cama... acho que deu para sentir até o perfume do cheiro de banho tomado e os cabelos úmidos... ;-)

    Grande abraço.

    ResponderExcluir