15 dezembro 2010

E quando termina...



E quando você diz pra mim que podemos ser amigos, o que me passa pela cabeça é uma resposta mal-criada. Onde já se viu? Ser amigo de quem você já transou com juras de amor? Amigos eu tenho aos montes...

Não quero ouvir você falar de outros casos, a não ser que seja sobre nós, lamentando o fim prematuro. E por que não dizer prematuro? Medo de transformar tudo num clichê? A vida é quase um clichê.

Seu amigo eu não quero ser. Podemos nos comunicar. Você finge que não vê outras pessoas e eu finjo que te esqueci. A verdade é que só estou morrendo aos pouquinhos e o que me segura é a possibilidade que eu cultivo no meu peito de que um dia você volte.

Bem lá no fundo do meu peito. Que é pro mínimo de pessoas sentir o cheiro.

17 comentários:

  1. ow, agora eu quis te por no colo...

    ResponderExcluir
  2. Recusar amizade não é sinal de medo? =)

    ResponderExcluir
  3. Não vou usar o ctrl+c e o ctrl+v em razão dos direitos autorais. Mas este post traduz claramente o que vivi.

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Exatamente como eu me sinto... quem inventou isso de ser amigo? :(

    ResponderExcluir
  5. vamos ser amigos não existe.
    Não depois de juras de amor!

    bjo querido!

    ResponderExcluir
  6. AMIGO, DESCULPE NÃO COMENTAR O SEU POST, MAS PRECISO QUE VOCÊ DÊ A SUA CONTRIBUIÇÃO PARA UM POST DO MEU BLOG.

    É MUUUUUUUUUUIIIIIIITO IMPORTANTE!

    http://serfelizeserlivre.blogspot.com/2010/12/2010-o-ano-dos-gays-o-ano-da-homofobia.html

    BJOXXXXXXXXXXXXXXX E OBRIGADO

    ResponderExcluir
  7. Querido pode acreditar, que isso passa e quando ele não for nada para vc, vcs podem até ser amigos!

    ResponderExcluir
  8. Esperto é aquele que não aceita esse convite ao sofrimento. Raras as vezes que vi um acordo desses dar certo, e as poucas vezes que vi dar certo, depois de um tempo começaram a dar errado.

    Um beijo Antônio!

    ResponderExcluir
  9. Antônio,fácil não é ... mas liberte-se ... sofrer por algo q não podemos ter é deixar de viver outras possibilidades reais ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  10. Não tem jeito: dói mesmo. Mas passa, e eu faço votos de que cicatrize bem e logo. Agora, ser amigo de ex que a gente amou de verdade? Eu nunca consegui, na verdade eu nem quero tentar.

    Força aí

    Bj

    ResponderExcluir
  11. Não acho que este acordo dê certo: a quem finge que já esqueceu, resta a dor quando os encontros e conversas acabam.

    Pelo menos para mim, enquanto há sentimento, o melhor é o afastamento. Aquela história sobre o que os olhos não vêem.

    Os encontros com um ex que a gente ainda gosta sempre colocam de novo, em exibição, na sala de estar do coração, a dor da perda, do término... Se não nos vemos, dá pra colocar a dor no quintal, escondida, para que ela só apareça de vez em quando.

    Xêrooo!

    ResponderExcluir
  12. primeira vez aqui e dou de cara com esse texto? Onde assino? Onde fico fã?

    E essa história de amigo é a maior mentira já inventada, mas o mais legal dela é que quem fala sabe que está mentido.

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Na música Leila da Legião em uma parte da letra ela diz que precisa de um homem e o Renato diz que ele também. E eu também! Pra resolver aqueles pepinos todos. Essa é a relação entre título, foto e texto. :-)

    ResponderExcluir
  14. Olha, esse negócio de amizade pós romance, não dá.

    Acho tão injusto com quem ainda ama, mas, ao mesmo tempo, tão injusto com quem não quer mais ficar preso ao relacionamento.

    ResponderExcluir
  15. putaquiupariu.

    *minha vez de (super) me identificar. [2]

    ResponderExcluir
  16. Eu queria contar que pode existir amizade sim, estranhamente da forma mais pura e no real sentido da palavra e se você me perguntar como eu não vou saber responder, mas eu sei isso na prática. E não consigo explicar como quando alguém me pergunta: Mas nem um beijinho?

    ResponderExcluir
  17. Quase não comento por no link estar "outras causas perdidas".

    Todo mundo vive isso.



    Mas passa, tudo passa.

    ResponderExcluir